A Liga Anarquista surge a partir dos levantes populares de Junho de 2013, de conversas, análises e discussões entre alguns indivíduos anarquistas não associados às organizações atuantes na cidade do Rio de Janeiro até então. Os diálogos avançaram e logo foi percebida a necessidade de um coletivo que aglutinasse os indivíduos militantes anarquistas para fins de autodefesa, apoio mútuo, solidariedade, ação direta, autogestão e federalismo, preservando as características de cada um dos seus integrantes, além de promover o diálogo entre as organizações já existentes no Rio de Janeiro e em todos os lugares a fim de fortalecer e organizar o movimento anarquista para a construção de uma sociedade livre.

Quanto aos princípios e métodos anarquistas, nos associamos às ideias federativas de síntese. Com isso compreendemos a Liga como um coletivo que promove a síntese entre diferentes proposições anarquistas. A Liga defende: a pluralidade de concepções teóricas fruto do acúmulo histórico dos anarquistas ao longo da sua trajetória; o reconhecimento das diversas formas de ação baseada na compreensão da heterogeneidade dos sujeitos da luta, explorados e oprimidos. Dessa forma, a Liga Anarquista se apresenta para o diálogo com todas as organizações anarquistas, libertárias e autonomistas populares para o trabalho e construção do mundo livre.

Abaixo segue a carta dos princípios norteadores da Liga Anarquista através dos quais nos orientamos e pretendemos seguir na caminhada libertadora.

Caso o arquivo não abra automaticamente abaixo, clique aqui para acessar a versão em texto da Carta de Princípios.

Anúncios