Ameaçado por embargos econômicos dos paises da União Europeia para os quais mentiu sobre o governo a situação política, econômica no Brasil e em especial mentiu sobre o avanço do desflorestamento que aniquila a Floresta Amazônica o excelentissimo pRESIDENTE Bolsonaro recorreu às redes de TV e Rádio encadeadas nacionalmente para dizer que tomará providências contra o incendio nas terras amazonicas.

Antes disso o presidente mentiu afirmando que ongs estavam queimando a floresta contando com a omissão interessada de governadores dos Estados que compõem a Amazônia.

A aniquilação da floresta amazonica por garimpeiros e o agonegócio no Brasil não é um fenômeno novo. Contudo, podemos afirmar sem dúvidas e a partir dos dados de queimadas e avanço da fronteira agrícola, com produção de soja, pimenta, milho e criação de gado que dia a dia, pouco a pouco o bioma amazônico está no curso da extinção. Discursos desenvolvimentistas de sucessivos governos ditatorial, neoliberal, populista de esquerda e de direita não apenas omitiram, no todo ou em parte, o ataque a amazônia, como também tentaram criar condições estruturais para que estas práticas econômicas devastadoras entrassem, radicassem e mantivessem nos territórios da floresta levando a morte para os povos indígenas e a biodiversidade ali contida.

Os EUA/USA são o mais perverso dos países no roubo de biodiversidade e tem o máximo interesse em explorar as riquezas minerais contidas no solo amazônico. Lamentável é ler e escutar em cadeia nacional o discurso falacioso de um presidente que está de joelhos para o Império dos USA/EUA. País que lidera a destruição ambiental no Planeta juntamente com a Rússia.

A formação rasteira e limitada do atual presidente é um indicativo de uma sucessão de crimes ambientais, sociais, humanos em curso. A censura ao INPE juntamente à contratação de uma empresa privada para fazer o serviço do instituto é a declaração gritante da mercantilização dos bens inegociáveis da humanidade em proveito das multinacionais de mineração e do agronegócio, gerando o lucro para minorias que destroem a vida.

A tolerante omissão e ataque a Ongs, INPE, Fundo Amazônia é parte de uma política deliberada de criação de estruturas baseadas em mentiras estabelecendo fundamentos distorcidos para enganar o povo brasileiro e a população mundial sobre os verdadeiros motivos que mobilizam este governo: ultralucratividade independente das consequência ambientais, sociais e humanas.

A 9ª economia do planeta com tecnologia de ponta na identificação de queimadas e desmatamento no território nacional não possui aviões, helicópteros e navios para combater incêndios? A utilização da GLO fundada na ideologia militarista legada pela ditadura – Lei de Segurança Nacional – lança mão de militares para combater os incendios e criar uma atmosfera de falsa tensão sobre uma falsa ameaça à soberania nacional, conceito sempre usado por militares para realizar crueldades, terrorismo de estado e inúteis guerras, sobretudo contra seu próprio povo.

Não nos enganemos. Bolsonaro Mente…! O agronegócio está por trás das queimadas tanto quanto empresas mineradoras e quadrilhas de garimpeiros. Todos estes amparados pelo manto de impunidade e omissão do governo Bolsonaro. Lançar mão dos inexperientes “milicos” para conter queimadas de desmatamento é criar a falsa necessidade da existência destas forças no país e fazer crescer a participação dos militares na vida civil, militarizando a sociedade já existente nas grandes cidades, nas escolas públicas, e agora também nas áreas de floresta. Em poucos dias teremos tanques nas ruas e o verde oliva será mais uma vez a cor da moda?

A proteção da floresta amazônica, do cerrado, da caatinga, da Mata Atlântica é responsabilidade de cada um de nós para nós e para a vida no Brasil e no Planeta. O presidente, com sua política ultracapitalista popular autoritária conservadora está jogando com vidas como joga com fichas num cassino. Devemos fazer valer a vida de cada ser vivo igual a cada ser humano.

Ontém estivemos nas ruas do Rio de Janeiro, do Brasil e no mundo. Somos a floresta, a floresta é a vida.

Fim das queimadas, fim do desmatamento, fim da exploração mineradora na Amazonia já.

Colaboração: Marília, Aurora, Fernanda, José.